A grande maioria dos tumores benignos do esôfago, estômago e intestino (chamados de pólipos) podem ser tratadas por endoscopia.

As lesões benignas do trato digestivo podem ser de várias formas e tamanhos e, após diagnosticadas, podem ser conduzidas a um tratamento endoscópico definitivo (cirurgia endoscópica) através de uma polipectomia, mucosectomia ou dissecção endoscópica da submucosa.

—————————-

Dr. Luiz Gustavo de Quadros
CRM 125.610
– Endoscopista da Kaiser Clínica e Hospital Beneficência Portuguesa de S.J. Rio Preto
– Preceptor do Programa de Treinamento em Cirurgia Geral do Hospital Beneficência Portuguesa de S. J. Rio Preto/SP.
– Preceptor do Programa de Treinamento em Endoscopia da Santa Casa de Misericórdia de S. J. Rio Preto/SP
– Responsável pelo Centro de Ensino e Treinamento (CET) da SOBED na Santa Casa de Misericórdia de S. J. Rio Preto/SP.
– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Videocirurgia – SOBRACIL
– Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões – CBC
– Membro Titular Especialista do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva – CBCD
– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Endoscopia – SOBED
– Membro Associado da Federação Brasileira de Gastroenterologia – FBG
– Membro Associado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica – SBCBM
– Membro Filiado da Sociedade Brasileira de Coloproctologia – SBCP
– Membro da “International Federation for the Surgery of Obesity and Metabolic Disorders” – IFSO
– Membro Internacional da “American Society for Gastrointestinal Endoscopy” – ASGE
– Sócio Titular do Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil – GEDIIB
– Membro Internacional da “International Society for Diseases of the Esophagus” – ISDE
– Membro Internacional da “Japanese Gastroenterological Endoscopy Society” – JGES