Estas informações procuram esclarecer algumas pessoas que optaram por retirar o glúten da sua dieta alimentar, ou seja: o glúten free.

Porém, substituir a farinha de trigo por outros tipos de farinha sem glúten, não é tarefa tão simples assim. A função do glúten é permitir a elasticidade às preparações e para substituí-lo existem no mercado dois tipos de fibras que conferem maciez aos produtos sem glúten, são elas: a goma xantana e a goma guar, sendo as mais utilizadas porque evitam que a massa fique esfarelenta e dura.

Farinhas sem glúten

Confira uma lista de farinhas que não contém glúten disponíveis no mercado.

Farinha de Amaranto

Esta farinha é riquíssima em proteínas: derivada das sementes do amaranto e possui sabor agradável

Araruta

É uma farinha branca extraída da raiz da araruta, da planta, podendo substituir o amido de milho para espessar as preparações.

Farinhas de Feijão

São ricas em proteína e têm um sabor distinto.  Elas são as que oferecem melhores resultados para receitas mais pesadas, como pão.

Farinha de Soja

Essa farinha também e é rica em proteínas.  Ela pode ser utilizada para substituir uma porção da farinha em receitas e também como espessante.  Atenção: a soja pode ser um alérgeno e pode causar sensibilidade

Farinha de Tapioca

Esta farinha é obtida a a partir da mandioca, portanto é uma farinha leve e amilácea que adiciona uma textura superior às receitas. É frequentemente usada junto com outras farinhas, como a grande maioria.

Outras opções de farinhas

Farinha de Coco

Farinha extraída da polpa seca do coco, possui poucos carboidratos e muitas fibras. Possui um grande poder de absorver umidade, portanto a sugestão é utilizar em receitas que tenham a mesma proporção de líquido e farinha.

Farinha de Milho

Feita de milho, essa farinha é muito grossa a confecção de bolos, mas é ideal para panquecas e claro para o pão de milho.

Farinha de Milhete

É realizada com o grão que leva o mesmo nome. Rica em nutrientes, de sabor leve, e pode ser usada para receitas doces ou salgadas; por criar uma casca delicada, é ideal para receitas de tortas doces de ou pães rápidos.

Farinhas de Castanhas

Transforme-a em um pó fino, qualquer castanha da sua preferência. Substitui a farinha na mesma proporção pela densidade que possui. Riquíssimas em proteína – elas são usadas mais recentemente para substituir uma parte da farinha nas receitas, pelo alto custo. Convém lembrar que esta farinha rancifica facilmente, portanto armazene em local fresco e potes hermeticamente fechados.

Amido de Batata

Farinha muito acessível, feita de batatas, conferindo um pó branco. Muito utilizada para bolos e receitas mais leves.

Farinha de Batata

A farinha de batata é bem diferente do amido da batata, pois é uma farinha espessa e densa, usada para receitas de pães, mas não é utilizada para bolos delicados.

Farinha de Quinoa

Esta farinha é amarga. Procure por farinha de quinoa “desamargada”.  Sem glúten é ideal para biscoitos e panquecas.

Farinha de Arroz

Farinha de sabor suave, combina muito bem com a maioria dos sabores, e sua textura leve a torna boa para bolos e receitas delicadas. Facilmente preparada em casa e você pode escolher a versão integral que possui um valor nutricional agregado muito maior.

Farinha de Sorgo

É suave e confere um sabor adocicado, mas não é pode ser utilizada sozinha e sim associada aos outros tipos de farinha

Farinha de aveia

É das farinhas, a mais fácil de encontrar em qualquer supermercado. Rica em fibra solúvel, capaz de reter água, formando um gel e consequentemente aumentando a saciedade e ainda ajudam a captar o colesterol no sangue.

Autora: Maria José de Biase Bombini, nutricionista

Mistura de Farinhas sem Glúten

Ingredientes:
Farinha de arroz branca – 2 xícaras de chá nivelada (290 g)
Farinha de arroz integral – 1 1/2 xícara de chá nivelada (185 g)
Fécula de batata – 1 xícara de chá nivelada (170 g)
Polvilho doce – 1/2 xícara de chá nivelada (55 g)
Goma xantana – 2 colheres de chá (5 g)

Preparo:

Misture muito bem todos os ingredientes, armazene em um recipiente hermético fechado e conserve em local seco e fresco. Seguindo estas orientações a durabilidade será de 3 meses.

Sites consultados:

Como fazer mistura de farinha sem glúten

https://www.natue.com.br/natuelife/tipos-de-farinha-sem-gluten.htm1l

https://saude.abril.com.br/alimentacao/tipos-de-farinha-que-podem-substituir-a-de-trigo/

http://www.mundoboaforma.com.br/dicas-de-tipos-de-farinha-sem-gluten-para-cozinhar/

 

 

2007-2017 © Kaiser Clínica. Todos os direitos reservados.

Urgência:        (17) 3014-3121