Obesidade é fator de risco câncer de mama

A pesquisa “Obesity promotes the expansion of metastasis-initiating cells in breast câncer”, da University of Fribourg, na Suíça, revelou que as pacientes com obesidade estão mais propensas a apresentar metástases, porque a obesidade é um fator de risco para muitos tipos de câncer, inclusive o de mama.

As complicações sistêmicas derivadas da obesidade, incluindo inflamação, resistência à insulina e hiperglicemia, já têm sido exploradas como potenciais causadores ou contribuintes para o aumento do risco e progressão do câncer de mama.

No entanto, os mecanismos responsáveis por esta associação em pacientes, especialmente na pós-menopausa, ainda não estão claros, em parte devido à ampla gama de condições associadas à obesidade.

Obesidade é fator de risco câncer de mama

Em relação à metástase, elas ocorrem por dois mecanismos extrínsecos de células tumorais independentes.

Os pesquisadores criaram um modelo de camundongo e passaram a investigar os efeitos da obesidade no crescimento do tumor primário e na progressão metastática espontânea, e o resultado confirmou o aumento da formação de metástases.

Ao longo do estudo, também foi observado que as pacientes com câncer de mama, com excesso de peso e obesas, apresentavam maior risco de recorrência e resistência à terapêutica, independentemente de estarem antes ou após a menopausa.

Prevenção

De acordo com o Inca – Instituto Nacional de Câncer, manter o peso corporal adequado é uma das principais formas de prevenir o câncer.

Isso porque o excesso de gordura no corpo provoca um processo inflamatório crônico e altera o metabolismo de hormônios sexuais que podem causar danos às células, provocando ou acelerando o surgimento da doença.

Manter uma rotina de atividades físicas, com uma alimentação saudável e equilibrada, rica em verduras, legumes e frutas, ajuda a manter a saúde e o peso corporal adequado.

Outros Estudos

Estudos mostram que, aproximadamente, 13 em cada 100 casos de câncer no Brasil são atribuídos ao sobrepeso e a obesidade, sugerindo uma carga significativa da doença pelo excesso de gordura corporal.

A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc) da Organização Mundial da Saúde (OMS) realizou uma avaliação onde concluiu que o peso corporal adequado contribui para redução do risco de desenvolver 13 tipos de câncer.

São eles: cólon e reto, esôfago, rim, mama na pós-menopausa, endométrio, estômago, fígado, vesícula biliar, pâncreas, ovário, tireoide, meningioma e mieloma múltiplo.

O estudo observou o efeito dose-resposta entre o excesso de peso e o risco para alguns tipos da doença, ou seja, quanto maior o grau da obesidade maior o risco de desenvolver determinados tipos de câncer.

Fontes: Abeso – Associação Brasileira para estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica; Inca – Instituto Nacional de Câncer; e Blog da Saúde / Ministério da Saúde

2007-2017 © Kaiser Clínica. Todos os direitos reservados.

Urgência:        (17) 3014-3121